Outubro Rosa • Dra. Alecia Brito

Outubro Rosa

Já passamos da metade de outubro e eu tenho uma pergunta para te fazer: você já fez ou já orientou as mulheres que conhece a fazerem a mamografia?

Muito mais do que usar a cor rosa ou iluminar monumentos públicos, o movimento Outubro Rosa tem como principal objetivo incentivar a mamografia e, consequentemente, o diagnóstico precoce do câncer de mama.

DADOS ALARMANTES

No lançamento da Campanha Outubro Rosa deste ano, a página do Ministério da Saúde destacou que a mortalidade no Brasil causada pelo câncer de mama está abaixo da média global, em linha com a de países como Estados Unidos, Reino Unido e França. O problema é que a página não menciona que essa taxa de mortalidade está crescendo.

O indicador passou de 9,15 por 100 mil habitantes para 12,11 por 100 mil entre 1980 e 2016 – alta de 32% -, conforme os dados da International Agency on Research on Cancer (Iarc), ligada à Organização Mundial de Saúde. A mesma base mostra que os países citados pela pasta em seu site têm reduzido a mortalidade desde meados dos anos 90.

Além disso, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil deve ter 119.400 novos casos de câncer de mama até o final deste ano. Ainda precisa de motivos para realizar o exame?

HÁBITOS SAUDÁVEIS X CÂNCER DE MAMA

O que muita gente não sabe é que hábitos saudáveis de vida são fundamentais para evitar tanto o câncer de mama como outros tipos de câncer. Para se ter uma ideia, estudos indicam que 1 em cada 10 mortes de mulheres por câncer de mama poderia ser evitada pela prática regular de atividade físicas (150 minutos por semana). Confira algumas dicas!

  • Comer, no mínimo, cinco porções de frutas e verduras por dia e, no máximo, 300 gramas de carne vermelha por semana – versões processadas devem ser evitadas.
  • Álcool: o limite é de um drinque por dia para mulheres e dois para homens.
  • Parar de fumar sempre ajuda: quem deixa de fumar, mesmo só após a descoberta da doença, vive mais.
  • A vacina de HPV evita cerca de 88% das infecções bucais pelo vírus do papiloma humano.
  • Obesidade: o excesso de gordura corporal exacerba a produção de certos hormônios que aceleram a multiplicação celular. 84 mil casos de câncer são atribuídos à obesidade todos os anos. Mulheres acima do peso com tumor de mama têm o risco de morte aumentado em 75%.
  • Exercício físico: uma pesquisa espanhola indica que a atividade física derruba pela metade o risco de mulheres com predisposição genética desenvolverem um tumor de mama.
  • Um estudo da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, comprovou uma ligação entre o estresse e o câncer. De acordo com o estudo, passar por um evento muito inquietante – como perda de emprego – nos últimos cinco aumenta em 78% a chance de desenvolver um câncer de pulmão.

POR QUE A MAMOGRAFIA?

A mamografia é um exame de imagem capaz de detectar nódulos de um centímetro ou menos. Desse tamanho, as chances de cura chegam a 95%. Além disso, ela deve ser realizada, anualmente, após os 40 anos, quando aumenta muito a incidência do câncer de mama. Saiba mais!

  • É um exame de raio-X, no qual a mama é comprimida entre duas placas de acrílico para melhor visualização.
  • Pode detectar nódulos de mama em seu estágio inicial, quando não são percebidos na palpação do autoexame (feito pela mulher ou pelo profissional de saúde).
  • Toda mulher brasileira tem direito a realizar sua mamografia anual pelo SUS a partir dos 40 anos.
  • Como todo exame, a mamografia também é passível de erros, mas mínimos. Cerca de 10% dos casos comprovados de câncer de mama podem não ser detectados na mamografia, principalmente em mulheres jovens, que têm a mama densa. Nestes casos, a ultrassonografia pode ser muito útil para detectar lesões duvidosas.

O autoexame também é importante, mas de forma secundária. Ou seja, não substitui a mamografia!

Então, mãos a obra contra o câncer de mama!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *